10 MOTIVOS PARA NÃO BEBER CACHAÇA INDUSTRIALIZADA

Há boa cachaça e má cachaça, é preciso aprender a distingui-las, e é possível fazê-lo sem esperar pelo teste da dor de cabeça do dia seguinte.

Separamos abaixo 10 motivos para você refletir melhor na próxima vez que pensar em beber uma dose de cachaça industrializada.

  1. Nos supermercados praticamente só encontramos cachaça industrial. Olobby dos industriais é muito forte, e a lei brasileira não permite a designação de artesanal de alambique. Isto prejudica o consumidor, que, olhando para o rótulo, não tem forma de distinguir. Daí que seja preciso experimentar para ver a diferença.
  2. Todas as industrializadas têm açúcar acrescentado.
  3. No caso da grande maioria das industrializadas, queimava-se o canavial para acelerar o processo, prejudicando não só o solo e meio ambiente, mas também a cana coletada que absorve poluentes da fumaça. Apesar de hoje em dia ja existir lei que proíbe a queima do canavial na maior parte dos estados brasileiros, as grandes empresas utilizam o processo mecanizado que acabam colhendo canas que não estão realmente maduras, o contrário dos produtores artesanais que fazem o corte selecionado.
  4. Nas cachaças industrializadas usam-se produtos químicos para acelerar a fermentação, ja nas cachaças artesanais o processo é feito todo com ingredientes naturais como o fubá de milho na fermentação.
  5. A destilação da cachaça industrializada é feita de forma contínua, sem interrupções, o que significa milhares de litros de produção por dia. Tudo isso se reflete no sabor, muito mais artificial e agressivo no caso das industriais, mais suave e natural, prolongando-se agradavelmente na boca, no caso das artesanais.
  6. O processo de produção contínua das cachaças industrializadas não separa a parte nobre do destilado, chamada “Coracão”. Durante a destilação, são coletadas três frações: cabeça (15% ), coração (60% ) e cauda (15%). A fração cabeça é rica em metanol e ácidos, e não deve ser comercializada nem utilizada para consumo. Na fração coração são coletados os principais compostos e mais desejáveis na cachaça. Já na fração cauda, também chamada de óleo fúsel ou caxixi, são encontrados os compostos com altas temperaturas de ebulição. Para serem aceitas dentro da legislação algumas marcas industrializadas eliminam esses componentes de outra maneira dentro do processo através da retificação, redestilação, entre outros. Assim especialistas afirmam que a cachaça artesanal, por sua pureza, é sem dúvida muito mais rica, saborosa e aromática que a industrializada, sendo muito mais complexa.
  7. Além de ser feita de maneira artesanal, a Cachaça de Alambique (artesanal), tem um outro grande “ingrediente” em sua composição: o alambique de cobre. Feita por um bom alambiqueiro, a Cachaça Artesanal feita neste equipamento é, segundo vários estudos, capaz de resultar em uma bebida mais fina e mais rica em sabores, aromas e cores: componentes sensoriais que fazem da Cachaça uma bebida com mais sabor.
  8. Ao comprar uma Cachaça de Alambique (artesanal) você estará ajudando algum pequeno produtor do interior, provavelmente utilizando mão-de-obra familiar. Estima-se que existam por volta de 40 mil produtores de cachaça artesanal no Brasil.
  9. Enquanto a artesanal utiliza só o caldo de cana, a industrializada geralmente é feita de uma mistura de melaço e aguardente.
  10. O fermento natural das cachaças artesanais carrega uma flora microbiana mista que produz, além do álcool, outros componentes que realçam o sabor e o aroma da cachaça.

Então lembre-se de adicionar na sua lista negra as cachaças industrializadas que são muito comuns em prateleiras de supermercados e bares devido ao lobby do mercado.  Não usar nem em preparo de receitas na cozinha, drinks, e principalmente nunca, repetimos, NUNCA em caipirinhas.

 O objetivo do post é refletir o fato da cachaça artesanal ter mais qualidade que a industrializada, de forma bem humorada, trabalhando opiniões de autores de livros da área como o do Marcelo Câmara (Cachaças – Bebendo e APrendendo) e Manuel Agostinho (Viagem ao mundo da Cachaça).

 

Deixar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *